Saúde: Como comprar diante de crise?

Em momentos de crise na saúde mundial, algumas empresas preferem buscar o lucro a contribuir para o bem estar geral. Trata-se de uma postura prejudicial que se torna um grande problema para a sociedade e representa o que há de pior em qualquer mercado. Mas há maneiras de se lutar contra isso.

 

Uma iniciativa notável é a feita pela FEHOESP e pelo SINDHOSP – a Federação e o Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo -, que estão enviando ofícios aos Ministério e Secretarias da Saúde denunciando a falta no mercado e aumento abusivo de preços de materiais e medicamentos de uso dos serviços de saúde. Preços observados chegam a registrar aumentos de 3.100% sobre o valor original.

 

Segundo levantamento do Sindicato e da Federação, estão em falta crônica: álcool gel 70%; máscaras e vários medicamentos – incluindo os relacionados ao coronavírus. O problema atinge, principalmente, serviços de saúde de pequeno e médio porte.

 

O aumento abusivo é justificado na base de oferta e demanda. Em situações como esta, é importante ter uma grande variedade de fornecedores e um ambiente competitivo entre os mesmos, para que o preço praticado pelo mercado seja normalizado. 

 

 

CRISE NA SAÚDE: COMO COMPRAR?

 

Neste momento se vê a importância de um processo de compras e negociação de materiais que seja bem estruturado e organizado. Para isso, existem algumas boas práticas de negociação que podem garantir que o valor tratado nos materiais sempre estará de acordo com o mercado. 

 

Algumas destas boas práticas são:

 

  • Criar um portfólio de fornecedores; 
  • Comparar materiais semelhantes que possuem preços diferentes para analisar se a diferença de preços é justificada;
  • Negociar valores de forma a evitar monopólios e aumentar a concorrência;
  • Manter histórico de preços dos materiais negociados;
  • Priorizar fornecedores que costumam passar uma maior confiança no valor negociado. 

 

Existem ferramentas, que garantem que todas estas boas práticas serão bem utilizadas no processo de compras destes materiais. Como é o caso da OPME Digital, a ferramenta disponibiliza diversas funcionalidades que juntas, tornam o processo de compras muito mais eficiente, organizado e econômico, evitando que os fornecedores que apresentam preços abusivos, se sobressaiam no mercado.

 

A OPME Digital nasceu visando solucionar um problema bastante similar e recorrente que acontece no mercado das Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPME), e tem atingido ótimos resultados para as operadoras de saúde que fazem sua utilização. Para conhecer melhor a ferramenta, entre em contato conosco!

 

 

*Artigo escrito por Rafael Meurer

Please follow and like us:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *